Compensa investir no Tesouro Direto?

No último artigo abordamos as características do Tesouro Direto e os tipos disponíveis. Nesse artigo, vamos ajudar você que ainda está com dúvidas se compensa ou não investir no Tesouro Direto. Então vamos lá…

Compensa investir no Tesouro Direto?

Vou responder essa pergunta apenas com uma palavra: DEPENDE

Sabe porquê?

Depende de seus objetivos financeiros, do período em que pretende deixar seu dinheiro aplicado. Os rendimentos do Tesouro Direto são competitivos quando em comparação com as demais aplicações em renda fixa e possuem a vantagem das taxas de administração e custodia serem baixas, já existindo no mercado corretoras que não cobram taxa de custódia.

Custos

As taxas cobradas no Tesouro Direto são:

  • Taxa de custódia da BMF&Bovespa de 0,3% ao ano.
  • Taxa cobrada pelas instituições financeiras, que pode variar entre 0% a 2% ao ano, porém, já existe no mercado corretoras que não cobram essa taxa.

Tributos

Os impostos cobrados são idênticos aos cobrados nas aplicações de renda fixa: IOF regressivo e Imposto de Renda regressivo.

No caso do Imposto de Renda, a cobrança é de acordo com o prazo de aplicação, podendo variar substancialmente.

  • Até 180 dias – Alíquota de 22,5%
  • De 181 a 360 dias – Alíquota de 20%
  • De 361 a 720 dias – Alíquota de 17,5%
  • Acima de 720 dias – Alíquota de 15%

O Imposto de Renda é cobrado no vencimento do título, no recebimento de juros semestrais ou em casos de venda antecipada. A incidência do imposto é contada a partir da data da compra.

Se seus objetivos são para o curto prazo, aplicar no Tesouro Direto não é o mais recomendável, pois, além de seus rendimentos estarem próximos aos demais praticados no mercado, a incidência do Imposto de Renda torna essa aplicação mais onerosa, reduzindo seus ganhos.

A rentabilidade do Tesouro Direto pode variar de acordo com o comportamento da economia. Como exemplo, podemos citar o ocorrido com o Tesouro IPCA + 2045 que alcançou a rentabilidade recorde de 29% nos primeiros 6 meses do ano, sendo 20% apenas no mês de maio. Papeis com vencimento mais longo tendem a sofrer oscilações de preço, podendo gerar com isso, tanto surpresas positivas como negativas.

Contudo, a garantia para o investidor é de que se mantiver no investimento até a data do vencimento receberá o valor contratado no momento da compra. A maioria dos investimentos realizados no Tesouro Direto são de aportes mensais, investidores que investem visando o longo prazo.

Antes de iniciar seus investimentos refaça seu planejamento, conforme alíquotas do Imposto de Renda apresentadas, o aconselhável é que ao investir no Tesouro Direto o investidor tenha em mente a ideia de permanecer pelo menos por 2 anos, pois, no caso de venda do título a partir desse período a alíquota do Imposto de Renda incidente seria a mínima prevista.

Portanto, estabeleça suas metas e objetivos financeiros de curto, médio e longo prazo e ao realizar um investimento se atente as suas características. Nosso foco foi o Tesouro Direto, porém, todas as modalidades de investimento possuem características especificas relacionadas ao tempo de aplicação – alguns voltados para o curto prazo, outros para o médio prazo – enfim, relacione esses itens e faça a melhor escolha.

Pense nisso: “Há uma coisa engraçada sobre a vida: se se recusar a aceitar qualquer coisa que não seja a melhor, você, muitas vezes, vai consegui-la. ” W. Somerset Maugham

Observação: As informações apresentadas aqui não tem por objetivo indicar o investimento como bom ou mau e não é uma recomendação de compra. Objetivo é apenas fornecer conteúdo de caráter educacional.